29 outubro 2015

CLAMÍDIA

A clamídia é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. Afeta os órgãos genitais masculinos ou femininos. Assim como os Vírus e as rickettsias, a clamídia é um parasita intrecelular obrigatório. Pode produzir esporos, o que torna sua disseminação mais fácil.

Existem apenas tres tipos de Chlamydia . São elas :

- Chlamydia trachomatis;

- Chlamydia psitaci;

- Chlamydia pneumoniae.

Todas elas causam doenças aos seres humanos:

A espécie Trachomatis causa cegueira e DSTs .

A espécie Pneumoniae causa doenças respiratórias semelhante a pneumonia causada por Micoplasmas .

A espécie Psitaci causa ornitose (doença respiratória nos pulmões)e é transmitida pelas aves.

 

Etiologia:

Clamídia é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pela bactériaChlamydia trachomatis. Ela pode ser transmitida via contato sexual anal, oral ou vaginal e pode também ser congênita, ou seja, pode ser passada de mãe para filho durante a gravidez.

 

Fatores de risco:

Manter relações sexuais desprotegidas é o principal fator de risco para contaminação por clamídia. Independentemente do número de parceiros que uma pessoa venha a ter, o fator determinante para a transmissão dessa e de outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) é a ausência de preservativo durante o ato sexual.

Sintomas:

Nos homens, a clamídia pode produzir sintomas similares à gonorreia. Eles podem incluir:

 

  • Sensação de queimação ao urinar;
  • Corrimento peniano
  • Secreção do pênis ou do reto;
  • Sensibilidade ou dor nos testículos;
  • Dor ou secreção retal.

 

Nas mulheres:

  • Sensação de queimação ao urinar;
  • Dor no ato sexual;
  • Dor ou secreção retal;
  • Sintomas de doença inflamatória pélvica (DIP), salpingite, inflamação do fígado semelhante à hepatite;
  • Secreção vaginal.
  • Sangramento intermenstrual e após a relação sexual.

Um em cada quatro homens com clamídia não apresentam sintomas, e somente cerca de 30% das mulheres infectadas manifestam os sinais típicos da doença.

 

Exames e testes:

O diagnóstico da infecção por clamídia envolve amostras da secreção uretral nos homens ou das secreções do colo do útero nas mulheres. Se o indivíduo pratica sexo anal, amostras extraídas do reto também podem ser solicitadas. A amostra é encaminhada para um teste de anticorpos monoclonais ou fluorescentes, teste de sonda de DNA ou cultura celular. Alguns desses testes também podem ser realizados em amostras de urina.

 

Tratamento:

O tratamento de clamídia não garante imunidade para a doença. Ou seja, se não houver o devido cuidado, ela pode retornar.

  • Em geral, o tratamento para clamídia é feito com antibióticos, incluindo tetraciclinas, azitromicina ou eritromicina.
  • Você pode contrair clamídia com gonorreia ou sífilis, assim, se você tiver uma doença sexualmente transmissível, deverá ser testado para outras DSTs também. Todos com quem você manteve contato sexual devem fazer o teste para clamídia.
  • Os parceiros sexuais devem ser tratados para evitar a retransmissão da doença. Não existe imunidade significativa após a infecção, e uma pessoa pode ser infectada novamente.
  • Deve ser realizada uma avaliação de acompanhamento após quatro semanas para determinar se a infecção foi curada.

 

Complicações:

Clamídia não tratada pode levar a problemas mais sérios de saúde, como:

  • Outras doenças sexualmente transmissíveis
  • Doença inflamatória pélvica
  • Epididimite
  • Inflamação na próstata
  • Contaminação de um recém-nascido, em caso de doença congênita
  • Infertilidade
  • Artrite reativa.
  • As infecções por clamídia em mulheres podem causar inflamação do colo uterino. Em homens, as infecções por clamídia podem provocar inflamação da uretra, denominada uretrite.
  • A clamídia não tratada pode se espalhar para o útero ou para as trompas de Falópio, resultando em salpingite ou doença inflamatória pélvica. Essas doenças podem levar à infertilidade e ao aumento do risco de gravidez ectópica.
  • Caso a mulher tenha contraído clamídia durante a gravidez, ela pode causar uma infecção no útero após o parto (endometrite pós-parto). Além disso, o bebê pode desenvolver conjuntivite (infecção ocular) associada à clamídia e pneumonia.

 

Prevenção:

- Todas as mulheres sexualmente ativas acima de 25 anos devem realizar exames de clamídia anuais. Todas as mulheres com novos ou múltiplos parceiros devem também realizar testes.

- Um relacionamento sexual reciprocamente monogâmico com um parceiro não infectado é uma maneira de evitar essa infecção.

- O uso correto de preservativos durante o ato sexual normalmente previne a infecção.

 

 

Postar um comentário