27 outubro 2015

CISTO SEBÁCEO


Também conhecido como cisto epidérmico, a doença é um caroço que fica localizado abaixo da pele. Tem cheiro forte e pode ter vários tamanhos, mas a forma normalmente é arredondada.

O conteúdo interno do caroço é chamado de sebum, que trata-se de um líquido branco com cheiro forte e o entorno da pele é gorduroso.

A doença também é conhecida por outros nomes, são eles cisto epidérmico, queratinoso e epidermoide, mas é apenas uma questão de nomenclatura, pois o tratamento é o mesmo.

Etiologia:   

  • Os cistos sebáceos surgem normalmente de folículos capilares inchados. Lesões na pele também podem induzir à formação de cistos. Uma bolsa de células surge na pele, dentro da qual é secretada uma proteína chamada queratina.
  • A doença acontece com base no acúmulo do conteúdo do cisto nas glândulas, que pode ser encontrada tanto na epiderme quanto na derme.
  • Após um trauma na região afetada é um dos indícios da doença, pois a lesão na pele pode causar a formação do cisto.
  • Há alguns estudos que apontam que a doença possa estar ligada a questões genéticas, em alguns casos. Por isso, independente de ter ou não o problema, não custa nada investigar casos passados na família, assim fica mais fácil para identificar e até tratar o problema, caso o cisto possa a se desenvolver no paciente.


Incidências:

  • Esses cistos são encontrados normalmente no rosto;
  • Couro cabeludo;
  • Pescoço;
  • Orelhas;
  • Tronco;
  • Órgãos genitais


Sintomas:

O principal sintoma é um nódulo pequeno e não doloroso debaixo da pele.

Se o nódulo ficar infectado ou inflamado, outros sintomas poderão incluir:

  • Vermelhidão na pele
  • Pele sensível ou lesionada
  • Pele quente na área afetada


Diagnóstico:

  • Exame clínico para confirmar o diagnóstico,
  • Analises patológicas.


Tratamento:

O tratamento depender de cada caso e quando inflamado o tratamento também é diferenciado.

  • Alguns casos, o tratamento pode ser feito em casa mesmo, sem a necessidade de medicamentos ou cirurgia. Coloque um pano úmido e quente (compressa) no local para ajudar a drenar e curar o cisto. Mas é essencial que o processo seja acompanhado e indicado pelo médico;
  • Medicamentosos - o cisto inflamado é necessário que se faça primeiro o tratamento com medicamento;
  • Cirúrgico para remoção do caroço;
  • O caroço não é cancerígeno, mas deve ser removido assim que constado e passa por uma análise, apenas por precaução.


Complicações:

Em casos raros, cistos sebáceos podem dar origem a câncer de pele. Porque isso ocorre muito raramente, os cistos sebáceos geralmente não são biopsiados a menos que sejam sólidos, imóveis, infectados ou que tenham outras características incomuns, que sugiram um problema mais sério. Além do câncer, outras complicações incluem:

  • Inflamação. Cistos epidermóides podem tornar-se moles e inchados, mesmo se eles não estiverem infectados. Cistos inflamados são difíceis de remover, e seu médico deverá adiar tratá-los até o desaparecimento da inflamação.
  • Ruptura. Um cisto rompido muitas vezes leva a um abcesso que requer tratamento imediato.
  • Infecção. Cisto sebáceo pode ser infectado, espontaneamente ou após uma ruptura.



Prevenção:

  • Evitar espremer os cistos, pois o contato do líquido com a pele pode causar reações adversas, causando novas inflamações.
  • Quando o cisto é grande, pode ser que haja complicações no dia a dia do paciente. Neste caso, procure um médico assim que identificado o problema para que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível.
  • Existe a possibilidade de que o cisto volte, mesmo depois da remoção cirúrgica. Neste caso, o paciente vai passar por todo o processo novamente, mas será necessário que se faça uma investigação mais elaborada, para entender a motivação do desenvolvimento dos caroços.
  • O acompanhamento de um médico dermatologista pode ser interessante, pois vai avaliar outras medidas de prevenção da doença, como produtos, cremes e alimentos que possam ajudar no combate dos cistos.



Postar um comentário